Assim a eletricidade e a agua corrente, melhoram vidas em Africa

Em 2023, a Associação Guiné-Bissau Orango (Orango Parque Hotel) organizou sua primeira campanha de crowdfunding para executar a reforma e ampliação do centro de saúde de Eticoga, uma das principais tabankas (aldeias) da ilha de Orango Grande, situada a 20 minutos a pé do hotel.

Por um lado, era preciso ampliar as instalações para acomodar uma nova sala de parto e pós-parto, que foi uma das melhorias incorporadas, já que as mulheres davam à luz numa sala de internação comum, com outros pacientes homens e mulheres. Mas o principal motivo desta reabilitação foi dotar o centro de saúde com algo que para muitos pode ser simples, mas que na África literalmente muda a vida: luz elétrica e água corrente.

Antes da reforma, se fosse preciso assistir a alguma urgência à noite, o enfermeiro ou enfermeira de plantão precisava usar a luz do seu telefone móvel para iluminar os pacientes.

Além disso, sempre que precisavam fazer um curativo ou atender a uma parturiente, era necessário sair para buscar água no poço que há junto ao dispensário, já que a quebra de uma bomba impedia há anos que esta saísse pela torneira.

Por isso, a incorporação de placas solares e de uma nova bomba de água, assim como a instalação de um novo sistema de tubulações, representou um grande avanço na qualidade de vida dos habitantes de Eticoga e de outras aldeias da ilha de Orango Grande, que o utilizam como centro de referência.

Como transportar 20 toneladas de materiais para a ilha de Orango Grande

Após conseguir o dinheiro para financiar o projeto de reforma, graça aos 18.800 euros que a Associaçao Guiné-Bissau Orango (Orango Parque Hotel) arrecadou com seu primeiro crowdfunding, somados as ajudas financeiras prestadas pela Fundação MAVA e Fundação CBD-Hábitat (até obter os 33.800 euros necessários para a obra), o desafio foi como transportar para a ilha de Orango Grande as 20 toneladas de materiais necessários para realizar a obra.

Tratava-se, mais uma vez, de um desafio fácil em outros lugares do planeta, mas que representa um esforço titânico na Guiné-Bissau, tanto a nível econômico quanto logístico. Por isso, demoramos quase meio ano para contar com os meios e recursos para tornar isso possível.

No mês de fevereiro ultimo, a Associação Guiné-Bissau Orango (Orango Parque Hotel) pôde, finalmente, fretar um caminhão que fez 5 viagens de ida e volta desde a capital do país, Bissau, até o porto de Quinhamel, transportando a bordo todo o tipo de ferramentas e materiais de construção: vigas de ferro, cimento, tijolos, tubulações, placas solares, cabos, azulejos, portas, lavatórios, baterias e muitos outros utensílios. Porque na ilha de Orango Grande não há lojas onde se possa adquirir tudo isso.

A partir daí, as próprias embarcações do Orango Parque Hotel e outras que precisaram ser alugadas foram utilizadas para conduzir o frete até a ilha, que fica a 4 horas de barco, navegando por um oceano Atlântico que em algumas ocasiões pode ser bravo. A carga era tanta, que foram necessárias 4 viagens de ida e volta. Mas o esforço valeu a pena.

Assistência sanitária digna para mais de 2.000 pessoas

Hoje, com a reforma já realizada, vendo como a luz elétrica funciona e a água sai pelas torneiras, somos realmente conscientes do quão transcendental tem sido este projeto para as mais de 2.000 pessoas que utilizam esse centro, e que graça ao nosso projeto, podem beneficiar hoje de uma atenção sanitária mais digna.

A alegria dos habitantes de Eticoga no passado dia 9 de junho de 2024, quando a Associação Guiné-Bissau Orango (Orango Parque Hotel) fez a entrega da obra ao Ministério da Saúde da Guiné-Bissau, dizia tudo.

Seus olhos refletiam a tranquilidade de saber que, se em algum momento eles e elas, ou seus filhos e filhas, ou seus pais e mães, precisarem ir ao centro de saúde para serem atendidos, poderão fazê-lo em condições que, mesmo sendo modestas, se aproximam dos padrões mínimos de salubridade.

Foi um ato bastante emocionante, ao qual assistiram responsáveis do governo guineense, da administração regional, do Ministério da Saúde, do IBAP, da Associação Guiné-Bissau Orango (Orango Parque Hotel), o régulo da aldeia de Eticoga, e uma representação da associação de jovens AFAIOG e da associação de mulheres de Orango Grande, entre outros.

No decorrer da celebração, foi colocada uma placa comemorativa e agradeceu-se a participação de todos aqueles e aquelas que tornaram possível este ato de solidariedade, que mudou a vida dos habitantes desta pequena ilha africana.

Entre os que colaboraram, há muitas empresas da Guiné-Bissau que contribuíram para o projeto, com fornecimento de materiais de construção como zinco e cimento; equipamentos como colchões e o transporte por estrada. Outras contribuições foram de material cirúrgico sanitário.

A todos eles, muito obrigado.